Barra de menu

Roteiro de Viagem: Como Fazer o Seu

MONTAR O MELHOR ROTEIRO JÁ É MEIO CAMINHO ANDADO PARA UMA VIAGEM INESQUECÍVEL.



Uma boa viagem é como uma obra bem executada: só se começa a construir depois que o projeto está pronto. E engana-se quem pensa que viajar com um roteiro pré-definido significa necessariamente amarrar ou limitar o passeio. Muito pelo contrário, ao traçar um roteiro de viagem, estamos na verdade otimizando nosso tempo para que possamos aproveitar ao máximo as melhores atrações dos lugares visitados dentro período disponível, que por sinal, para os brasileiros geralmente limita-se a 30 dias de férias anuais. Um roteiro bem montado e munido de boas dicas costuma ser meio caminho andado para a realização daquelas viagens que acabam ficando para a posteridade. E por que isso acontece? Justamente porque retornamos para casa com a sensação de ter vivido intensamente aquele momento, por mais breve que ele tenha sido.

Para onde viajar? Quando ir? Por onde passar? O que visitar? Quanto tempo ficar? Um bom roteiro é como um sábio conselheiro que está sempre ao seu lado, respondendo suas perguntas e deixando-o livre leve e solto para curtir os melhores destinos da sua viagem sem ter que ficar esquentando a cabeça e tomando decisões no meio do caminho. Para contar com um desses, tudo o que você precisa fazer é preparar bem o seu próprio “conselheiro”, a partir das informações e dicas de viagens provenientes de suas pesquisas.

E por falar em pesquisa, o que seria de nós sem a internet, essa fonte inesgotável de informações gratuitas no conforto de nossos lares! Só que para tirar proveito dessa barbada, é importante saber não apenas onde buscar, mas principalmente, o que buscar. Uma boa estratégia para direcionar e organizar sua pesquisa é dividir todo o planejamento da viagem em cinco fases. Vejamos quais são elas:


Fase 1: Para onde viajar?


Nesta primeira fase escolhemos uma atração turística, uma cidade, um país ou região para nossa viagem. Geralmente a escolha constitui a idealização de uma vontade antiga de conhecer um lugar específico, podendo também estar vinculada ao propósito e ao estilo dessa viagem, como já foi comentado no artigo os melhores lugares para viajar no Brasil. Nesta primeira fase do planejamento, é necessário apenas conciliar o porte da viagem com a quantidade de dias disponíveis para realizá-la. Se você sempre quis conhecer Buenos Aires, mas também sonha com um mochilão na Europa, sabe muito bem que um punhado de dias já é suficiente para realizar o primeiro plano, mas precisaria de pelo menos um mês para o segundo.

Fase 2: O que visitar e por onde passar?


Agora que o destino já está decidido, é hora de arranjar bons mapas turísticos e começar a traçar seu itinerário. No caso de viagens mais longas em que não nos limitamos apenas a uma única cidade, o ideal é tentar sempre traçar um circuito fechado de maneira que os caminhos de ida e volta não se repitam. A partir daí, também começam as leituras em guias, sites e blogs, além de fóruns de viagens para obtenção de informações relevantes e atualizadas sobre a região a ser visitada. Na hora de decidir por onde passar, leve sempre em conta qual tipo de atração lhe desperta maior interesse e descubra quais lugares oferecem essas atrações. Pessoalmente, considero questionável visitar uma determinada atração só porque ela é famosa e todo mundo vai lá. Por outro lado, sempre existem aqueles lugares pouco explorados, mas que por algum motivo acabam lhe despertando um interesse especial. No final das contas, o que vale mesmo é a satisfação do cliente, ou neste caso, a satisfação do viajante.

Outra coisa que também deve ser avaliada durante esta fase 2 são as formas de deslocamento entre destinos.  Caso não esteja viajando em veículo próprio, verifique a disponibilidade e as condições do transporte público no local visitado e veja se valeria ou não a pena alugar um carro. Perceba que muitas vezes nem é a questão do custo o fator mais determinante na decisão, mas sim de logística. Se você estiver percorrendo uma rota repleta atrações pelo caminho, por exemplo, viajar de ônibus talvez não seja a forma mais proveitosa de se deslocar. Por outro lado, se o sistema de transporte público da região visitada for confiável e eficiente, pode muito bem valer mais a pena fazer uso dele, pois além da chance deste meio sair bem mais em conta, não existirão preocupações adicionais, tais como onde estacionar. Em resumo, analise o cenário, faça seus cálculos e escolha a alternativa que lhe resultará no melhor custo x benefício.

Fase 3: Onde estarei em cada dia?


Agora já é hora de começar a colocar algumas coisas no papel (melhor ainda se for em uma planilha eletrônica), pois as informações se multiplicam e você precisa ordenar o seu plano. Crie um quadro ou calendário com os dias da viagem e comece a jogar lá dentro os lugares onde você imagina que vá estar a cada dia, de acordo com o tempo que cada destino merece. Desse jeito fica muito mais fácil distribuir as atrações e os deslocamentos dentro do período total da viagem, além de definir as cidades de pernoite. Recomendo deixar o último dia do cronograma vazio, assim, na melhor das hipóteses, se nenhum imprevisto ocorrer e esse último dia acabar mesmo sobrando, você poderá usá-lo para desfazer as malas, organizar as fotos da viagem, ou simplesmente descansar antes de retornar ao trabalho no dia seguinte. 

A planilha que elaborei durante o planejamento de uma viagem à Bolívia

Uma dica importante para esta fase é tentar prever o quanto antes possíveis fatores limitantes que poderão ditar regras no seu itinerário, tais como horários de fechamento de postos fronteiriços, datas e horários de transportes e travessias, horários de ingresso em atrações ou qualquer outro fator condicionante que possa influenciar na distribuição das suas atividades ao longo do roteiro. Um exemplo disso ocorreu comigo durante o planejamento de uma viagem à Amazônia: por querer incluir no itinerário uma viagem de barco pelo Rio Amazonas, precisei moldar boa parte do meu roteiro em função da data de partida do navio.

Fase 4: Reservas e pente fino


Com sua planilha já estruturada, siga trabalhando em cima dela, lapidando-a e complementando-a à medida que novas informações vão surgindo e de acordo com as dicas que você vai colhendo em suas leituras: um passeio imperdível, um lugar pouco conhecido, uma rota de transporte mais interessante, um restaurante diferente, etc. Mergulhe nos relatos de viagens e inspire-se nas histórias de outros viajantes!

A essa altura do planejamento, seu calendário já estará praticamente pronto, de modo que você já deve saber muito bem onde deve estar em cada dia. Portanto, para qualquer reserva que quiser ou precisar fazer, a hora é essa! Sempre existem aquelas obrigatórias, como passeios ou passagens concorridas e as opcionais (mas recomendáveis) como as hospedagens. Pessoalmente, depois que senti o gostinho de chegar aos destinos e não precisar perder tempo catando onde dormir, nunca mais saí de casa sem ter pelo menos uma lista com endereços de bons candidatos à hospedagem.

Fase 5: Documentação de viagem e check-list final


Com o roteiro pronto só resta esperar pelo dia da partida! Vale lembrar que sua documentação precisa estar em ordem, então confira tudo com certa antecedência: passagens, comprovantes de reservas, documentos pessoais, etc. Se for uma viagem internacional não esqueça também do passaporte com os vistos requeridos, um cartão de crédito habilitado para uso no exterior, alguns dólares e algum seguro de saúde. Certos destinos podem requerer ainda papéis específicos, então verifique se não vai precisar de coisas como carteira internacional de vacinação e se for dirigir, carteira internacional de motorista (normalmente desnecessária) e algum seguro para o veículo (na América do Sul exigem o “seguro carta verde”). Faça também um bom check-list dos itens de sua mala ou mochila para não acabar esquecendo alguma coisa que poderia fazer falta no meio do caminho. A propósito, pegue leve na bagagem e no mais, tenha uma excelente viagem!

E você, o que achou desse método para planejamento de viagens independentes? Costuma seguir algum desses procedimentos? Conhece outras dicas? Deixe um comentário dê o seu pitaco!


Veja outros textos da série Guia do Viajante Independente:

GOSTOU DA POSTAGEM?
Clique nos botões abaixo e contribua para a valorização deste conteúdo. Obrigado pelo apoio!

DEIXE UM COMENTÁRIO!
Suas impressões e opiniões são bem vindas. Veja a política de comentários.

Sobre o Autor:
Robson Dombrosky , engenheiro, motociclista e aventureiro. Um viajante deveras curioso, que sempre percorre seus destinos munido de um bloco de notas e de uma bela câmera fotográfica.

20 comentários :

  1. O meu roteiro é parecido, só que preciso aprender a ser mais sucinta como você.
    Eliana

    ResponderExcluir
  2. Estou tentando fazer um roteiro para Natal-RN, como sei que João Pessoa e, Pernambuco fica tudo perto quero ver se dar pra ir visitar os três estados. Tenho apenas 7 dias,e vou alugar um carro, vc acha que consigo? Ou é pouco tempo? Me oriente por favor.
    E qual programa vc usou para fazer a planilha, word ou Excel?

    Leonilde Reis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leonilde. Bem, para saber se dá tempo, veja quantos km vai ter esse seu trajeto de carro. O ideal é você fazer grandes deslocamentos dia sim dia não, ou se for se deslocar entre cidades em dias consecutivos que este se limite a uns 200 km ou menos. Dessa forma a viagem não fica excessivamente corrida e você consegue curtir ela. Para fazer as planilhas eu normalmente uso o Excel, que me dá mais flexibilidade e posso ainda fazer cálculos de custos.

      Excluir
    2. olá Amigo, não sei se já fez a viagem ... mas vamos lá ...
      a melhor ideia neste caso é ter como ponto de partida a cidade de João Pessoa - PB, pois a mesma fica entre as outras duas localidades que desejas visitar.
      sendo assim podes se deslocar indo e vindo com kms entre 150 e 200... e tendo como ponto de chegada e partida João Pessoa. qlqr duvida entre em contato.

      Excluir
  3. As suas dicas são muito boas
    Quanto mais planejarmos melhor será nossa viagem
    Vou viajar para o México e aproveitei demais o seu blog


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Eliana! O México é mesmo um país bem interessante, então aproveite bastante sua viagem. Um abraço!

      Excluir
  4. Gilda,

    Ja tenho muitos itineraries para visitas na minha terra, mas nao conseguia me decider sobre qual adopter. Gracas ao seu site e as dicas acho que vai ser canja preparar uma viagem de repouso de sete dias pois preciso imenso de descanso e descoberta de novas coisas.

    O seu site e maravilhoso.

    Um abraco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Gilda e que bom que o blog está podendo contribuir com seus projetos!

      Excluir
  5. Robson, adorei seu blog. Estou pensando em ir para a Bolívia ano que vem, mas pro final do ano. E estou cheia de dúvidas. Você poderia me passar quanto vc gastou nesse seu roteiro na Bolívia? Só pra eu ter uma ideia.

    Abraços.
    Ariana
    http://arianaviajante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ariana, procurei mas não encontrei minha planilha de gastos da Bolívia. Mas saiba que este é o mais barato país da América do Sul. Se você não fizer questão de hotéis ótimos e restaurantes requintados, dá pra gastar metade do que gastaria passeando no Brasil, por exemplo. Alguns passeios estão se tornando muito famosos e por isso andaram inflacionando nos últimos anos, mas as coisas ainda são bem acessíveis por lá.

      Excluir
  6. Encontrei suas dicas só agora, faltando poucas semanas para viajar, mas vai me ajudar bastante com o planejamento final das visitas às 7 cidades europeias que minha irmã e eu vamos conhecer em breve. Muito obrigada por compartilhar suas experiências!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, estamos aí para somar! E desde já uma ótima viagem para vocês duas!

      Excluir
  7. Maravilha, também gosto de planejar otimiza o tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Sônia, e faz toda diferença, principalmente quando não temos tempo de sobra!

      Excluir
  8. goste de suas dicas ótimo planejamento

    ResponderExcluir
  9. Bom Dia,

    Gostaria de viajar para Holambra-SP conhecida como a cidade das flores. Moro no interior de Minas Gerais próximo a Teixeira de Freitas-BA. Como faço o roteiro? Ir de quê? Por onde ir? Juro que já pesquisei muito, mas não me dou bem com pesquisas, nunca encontro o que procuro. Me ajude, por favor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Indo de ônibus ou de avião, procure passagens para a cidade de Campinas SP, a cidade grande mais próxima de Holambra. Para pesquisar passagens aéreas, sugiro usar sites agregadores, como o www.decolar.com. Se preferir ônibus, verifique na rodoviária de sua cidade quais linhas oferecem trechos para lá. Pode ser necessário fazer algumas baldeações.

      Excluir
  10. Oi Robson,
    Estou indo em uma aventura nas férias para Bonito, MS. Iremos eu, marido e três filhos com idade de 23, 16 e 11 anos, respectivamente. A grande aventura é que iremos de carro e entrei no seu blog para ter umas dicas de como programar as paradas na estrada. Dormiremos no meio do caminho e seguiremos viagem no dia seguinte, mas gostaria de umas dicas de como planejar as paradas para almoço, banheiro e abastecimento.
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela aventura em família, vai ser memorável! Bem, a não ser que vocês fossem trafegar em lugares ermos e estradas desertas, acho que não há necessidade de planejar pontos de parada de abastecimento, eu pelo menos nunca fiz isso. O que faço é ir dirigindo e quando a gasolina fica abaixo de meio tanque, bate fome ou a natureza chama, simplesmente paro no posto seguinte. E mesmo que não precise abastecer, é interessante parar a cada duas ou três horas por uns 15 minutos para esticar as pernas, torna a viagem mais agradável, além de ser benéfico para o motorista.

      Excluir
  11. Muito bom.. Vou aproveitar para fazer meu roteiro para Alemanha. ..

    ResponderExcluir