Barra de menu

Da Praia da Pinheira à Guarda do Embaú


O litoral do nosso Brasil é incrivelmente belo: ao longo de quase 8.000 km de costa, são muitos os trechos que merecem destaque no quesito “praias exuberantes”. Um bom exemplo disso é o litoral de Santa Catarina, região onde a mãe natureza sem dúvida alguma foi bastante generosa, a começar pela própria capital do Estado. Mas se descermos um pouco mais, chegando ao município vizinho de Palhoça a 50 km de Florianópolis, encontraremos mais duas joias do litoral sul: a Praia da Pinheira e a Guarda do Embaú.

A Pinheira conta com uma boa infraestrutura turística, com opções diversas de pousadas, bares e restaurantes. Mas o que realmente atrai tantos visitantes para a região é o conjunto de belezas naturais encontradas, por exemplo, na Praia de Baixo e na Praia de Cima, separadas da Guarda do Embaú por um lindo pedaço de chão conhecido como Vale da Utopia. E para contemplar devidamente tantas belezas, nada melhor do que uma caminhada pela trilha que liga essas duas praias. Acompanhe então conosco esta belíssima caminhada entre a Pinheira e a Guarda do Embaú, um percurso para encher os olhos de qualquer apreciador da natureza!


Foto 01 - A Praia de Cima, apesar do que o nome sugere, fica a leste da Praia de Baixo, tendo como limites o Morro da Toca e a Ponta das Andorinhas.


 Foto 02 - A trilha que liga a Praia de Cima à Guarda do Embaú percorre um trajeto quase sem sinais de interferência humana, passamos por lugares de grande beleza, tais como a Praia do Maço, o Vale da Utopia e a Prainha.


Foto 03 - O nosso ponto de partida nessa caminhada é, portanto, a Praia de Cima. Além do visual privilegiado, ela fica em local protegido do vento sul e o mar é manso, condições favoráveis ao banho da criançada.


Foto 04 - A partir da Praia de Cima inicia-se uma trilha pelo morro localizado junto à Ponta das Andorinhas, caminho que segue em direção à pequena praia do Maço.


Foto 05 – Uma outra alternativa de caminho para se chegar ao Vale da Utopia e à Praia do Maço é rodear o costão a partir da Ponta das Andorinhas. 


Foto 06 - Mas aos que optarem pelo caminho do costão já vou logo avisando: irão perder este visual da Praia da Pinheira, onde é possível avistar inclusive a Ponta do Papagaio e o extremo sul da ilha de Florianópolis.


Foto 07 – Continuando pela trilha, logo chegamos a um ponto onde já se pode ter uma bela visão da pequenina Praia do Maço, cercada pelo Vale da Utopia.


Foto 08 - O Vale da Utopia é um lugar com ares de paisagem rural, sendo comum avistar bois e vacas, juntamente com os indícios de sua presença, que ficam espalhados por toda parte. 


Foto 09 – Isolado na praia do Maço existe um pequeno bar meio “roots” que costuma abrir na alta temporada. Boa pedida para aqueles que não suportam passar um par de horas sem consumir alguma coisa.


Foto 10 - A Praia do Maço é a menor de todas na região. Apesar de não ficar atrás das outras no quesito beleza, perde muitos pontos na categoria “temperatura do banho”.


Foto 11 - Depois de uma pausa para um banho gelado (e por consequência, bem rápido) na Praia do Maço, retomamos a trilha, que passava agora a margear os costões que se projetam sobre o mar azul. Caminhada fácil na maior parte do tempo.


Foto 12 – Em alguns trechos, porém, o caminho das pedras é quase inevitável!


Foto 13 - Mas por onde quer que passássemos, a natureza seguia nos brindando com o que há de melhor em termos de paisagens litorâneas.


Foto 14 – Vale lembrar que alguns pontos da trilha podem ser perigosos, dependendo de quão próximo dos costões a pessoa resolva chegar. A combinação mar revolto + pedras escorregadias pode resultar em acidentes sérios.


Foto 15 – Felizmente existem alternativas para contornar as partes mais difíceis.


Foto 16 – Viu só? No fim das contas, trilhar os caminhos da Pinheira não requer mais do que disposição, bastante água e uma boa dose de protetor solar.


Foto 17 – Lá pelas tantas surge ao longe a primeira visão da Prainha. Para chegar até ela, só está faltando descer um morro gramado e atravessar o costão norte da praia.


Foto 18 - A visão da Prainha a partir desta parte elevada da trilha é certamente uma das coisas mais belas com a qual alguém irá deparar nestas redondezas. Cercada por morros com mata atlântica nativa, dunas de areias brancas e dois belos costões, é uma das poucas praias do litoral de Santa Catarina ainda sem qualquer construção. Tomara que permaneça assim para sempre.


Foto 19 – No meio do caminho, já bem perto da Prainha, é possível encontrar algumas piscinas naturais, alimentadas por um pequeno riacho de água cristalina que cruza a trilha.


Foto 20 – A Prainha tem boas ondas, por isso costuma ser frequentada por surfistas. No verão ela é um pouco mais visitada, mas já que o acesso não é dos mais fáceis, em muitas ocasiões chega a ficar inteiramente deserta.


Foto 21 – Atravessando o costão sul da Prainha, depois de termos percorrido toda sua extensão. Mais um pouco e já estaremos contornando o próximo morro, de onde já será possível avistar a Guarda do Embaú.


Foto 22 – E lá está ela, a praia da Guarda do Embaú, admirada por banhistas e adorada por surfistas. É separada da terra firme por um pequeno rio, que desemboca no extremo norte da praia e cuja travessia pode ser feita com apoio de barqueiros, caso falte disposição para atravessá-lo a nado. Daqui onde estamos também é possível avistar a praia da Gamboa, mais ao sul, já no município de Garopaba, aonde se chega depois de alguns quilômetros de caminhada pelas areias da Guarda.

 E assim chegamos ao ponto final da caminhada! Hora de almoçar um delicioso filé de peixe na vila da praia para depois, quem sabe, buscar uma sombra na areia e curtir uma siesta, embalado pelo som das ondas da Guarda do Embaú. 


GOSTOU DA POSTAGEM?
Clique nos botões abaixo e contribua para a valorização deste conteúdo. Obrigado pelo apoio!

DEIXE UM COMENTÁRIO!
Suas impressões e opiniões são bem vindas. Veja a política de comentários.

Sobre o Autor:
Robson Dombrosky , engenheiro, motociclista e aventureiro. Um viajante deveras curioso, que sempre percorre seus destinos munido de um bloco de notas e de uma bela câmera fotográfica.

19 comentários :

  1. Frequento a Praia da Pinheira há alguns anos e fico muito feliz em ver tão bem descrito este lugar que gosto tanto.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Luiza, fico contente que o post tenha agradado uma frequentadora assídua da Praia da Pinheira!

      Excluir
  2. Oi, Robson. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.

    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie - Boia Paulista

    ResponderExcluir
  3. Oi Robson

    Show esta trilha, moro aqui em Floripa e nunca a fiz.

    Vou esperar o verão e tentarei percorrer esta maravilha.

    @GusBelli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai mesmo Gustavo, que vale a pena. Essa foi a segunda vez que fiz o caminho, como me criei em Floripa, já tinha passado por lá outra vez.

      Excluir
  4. Percorri a trilha no verão de 2012, muito lindo....Em janeiro vou de novo...Parabêns pelo trabalho..
    Valdeni...Machadinho - RS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi quando eu fui também, Valdeni. E olha que dá vontade de voltar, hein!

      Excluir
  5. Boa Tarde Robson

    Gostei das descrições e das imagens, me instigou a fazer, já que passarei 1 semana acampando na Guarda.

    Quanto tempo dura a trilha inteira num percurso num ritmo normal, com paradas pra admirar a paisagem?

    Sabe se existem barcos que trazem de volta da Pinheira pra Guarda? abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que pelo menos umas duas horas, pra fazer com calma, ou até mais se quiser incluir umas paradas para banhos de mar. Para voltar ao ponto inicial há estradas ligando as duas praias, imagino que existam ônibus fazendo essa linha.

      Excluir
  6. Parabéns pelas informações, excelente blog. Vou fazer esta trilha agora, boa pedida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Samuel e boa trilha pra você!

      Excluir
  7. Quanto tempo de trilha? É possível levar criança? Ou é muito puxado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou bem certo, mas acho que duas horas indo com calma. Não é puxada não, dá pra ir com crianças na boa!

      Excluir
  8. Hj fiz boa parte da trilha, só não consegui terminar, pois me perdi no Vale da Utopia kkkkk, entendi meu erro, deveria ter seguido mais próximo do Costão. Mas apesar de não ter chegado a Pinheira e o tempo estar nublado, vlw muito a pena, cada paisagem linda, tirei muitas fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Me perdi no Vale da Utopia" isso dá até música hein Alex, hehehe...

      Excluir
  9. Moro na Pinheira e faço 1 dia sim e 1 dia não sem chuva. Vale o esforço e é ótimo para saúde. Academia nunca mais rs. Abraços ao blog e sucesso. XERETAR

    ResponderExcluir
  10. Amei, super explicadinho.. deu pra ter uma boa noção do que nos espera!! Fotos lindas também... obrigada pelo post ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada Franciele e quando forem, bom proveito!

      Excluir