Barra de menu

Hanover e Hamburgo – Recolocando os Pés na Alemanha


QUINZENA LUSO-GERMÂNICA – Parte 1

O mês de julho de 2012 chegara trazendo consigo os preparativos para uma escapada de 15 dias à Europa. Nada de extravagante desta vez, um passeio bem mais comportado no quesito aventuras e indiadas, já que o objetivo primário da viagem seria visitar familiares residentes na Alemanha. Durante a primeira semana, enquanto hospedados em Hanover, ainda aproveitamos para passear por mais algumas cidades das redondezas. Passados os primeiros sete dias da viagem, iniciávamos o retorno ao Brasil com a companhia portuguesa TAP.

Mas esperem, aquele não era um retorno qualquer: um conveniente stop over de uma semana em Lisboa ainda estava por vir. A partir da capital portuguesa e com toda a liberdade que um carro próprio (alugado) poderia oferecer, acabamos tendo um belo aperitivo de Portugal, passando por algumas das principais cidades da parte central e do norte do país.

Neste relato intitulado Quinzena luso-germânica, o resumo do que vimos durante aquelas duas semanas.


Foto 001 – O aeroporto de Frankfut, com o pátio repleto de aeronaves da alemã Lufthansa, acompanhadas pelo exemplar da portuguesa TAP que acabara de nos trazer desde Lisboa.



Foto 002 – No meio do caminho entre os dois países estão os Pireneus, a cadeia de montanhas que forma uma fronteira natural entre França e a Espanha.



Foto 003 – Chegada em Hanover, a nossa base na primeira parte da viagem. Uma das marcas registradas desta agradável cidade ao norte da Alemanha é o Neues Rathaus, a sede da prefeitura.



Foto 004 – Quem vê esse lindo prédio hoje não imagina os maus bocados que ele passou durante a Segunda Guerra Mundial. Para o seu azar, Hanover, era na época um importante polo industrial, o que fez dela um dos principais alvos dos bombardeios dos aliados contra o nazismo na guerra.



Foto 005 – Subindo ao topo da cúpula do Neues Rathaus chega-se a um deck de observação, de onde se tem uma bela vista da cidade que há algumas décadas precisou se reerguer das ruínas.  



Foto 006 – Olhando para outro lado já se avista o centro antigo de Hanover, onde a imponente igreja Marktkirche, aparece com especial destaque.



Foto 007 – Construída no século 14, a Marktkirche é a principal igreja luterana da cidade. Durante um bombardeio da guerra em 1943, todo o telhado e partes da nave vieram abaixo. Quase dez anos depois, uma cuidadosa restauração devolvia à cidade um de seus mais notáveis ícones.



Foto 008 – Em frente à Marktkirche, a imagem de Martinho Lutero, o monge alemão que foi figura central na fundação da Igreja Luterana, religião hoje dominante no norte da Alemanha, enquanto o sul permanece predominantemente católico.



Foto 009 – O altar principal, datado do século XV, é todo esculpido em madeira, com a via crucis belamente retratada em 21 cenas.



Foto 010 – Um dos grandes símbolos da destruição sofrida por Hanover são as ruínas da Aegidienkirche, deixadas propositalmente desta forma para que ficassem como um memorial da guerra.



Foto 011 – Ainda são visíveis as marcas dos incêndios causados pelos bombardeios dos aliados contra o nazismo, que também acabaram atingindo partes residenciais inteiras. Quando os ataques cessaram, Hanover contabilizava seis mil mortes e mais de 90% da área central reduzida a um amontoado de escombros.



Foto 012 – Apesar da destruição generalizada, umas poucas partes do centro foram poupadas e hoje guardam traços do que teria sido a Hanover medieval.



 Foto 013 – O centro antigo de Hanover é um convite para uma caminhada descompromissada.



Foto 014 – Plana e repleta de ciclovias, Hanover é também uma cidade bastante amigável aos que preferem locomover-se sobre duas rodas.



Foto 015 – Uma pedalada pela orla do Rio Leine não deixará esta escultura passar despercebida: as supostamente famosas “Nanas” da escultora francesa Niki de Saint-Phalle.



Foto 016 – Mais uma intervenção artística no centro antigo. Ou talvez mero passatempo de alguém com um monte de etiquetas coloridas (e tempo) sobrando.



Foto 017 – Pois bem, a partir de Hanover fizemos alguns passeios a cidades próximas. Aqui estamos em Hamburgo, a segunda maior da Alemanha.



Foto 018 – Viajando de trem, chega-se em Hamburgo pela Hauptbahnhof, ou se preferir, pode chamar de “estação central” mesmo.



Foto 019 – Esta bela estação ferroviária aberta em 1906 acabou se tornando a principal porta de entrada de Hamburgo, sendo hoje a mais movimentada da Alemanha.



Foto 020 – Dezenas de linhas de trem de longa distância chegam de toda parte e tudo acaba se conectando ao sistema de metrô. Fico me perguntando quando nosso Brasil terá algo nesses moldes.



Foto 021 – Apesar do seu porte de metrópole, Hamburgo não é uma daquelas cidades abarrotadas de arranha céus. Ao invés disso, seu refinado conjunto arquitetônico inclui representantes de diversos estilos. Ao fundo, a torre da catedral medieval de São Pedro.



Foto 022 – Dominando o centro da cidade com sua elegante fachada decorada, o Rathaus é o prédio sede da prefeitura. Já a área em frente, como podem perceber, fica sempre muito movimentada, ocupada por algum evento ou pelo tradicional mercado público, com suas barracas repletas de comida típica alemã.



Foto 023 – Não muito longe dali está um dos maiores ícones da cidade, o Speicherstadt, algo como “distrito dos armazéns”, um conjunto de prédios de tijolos vermelhos, pertencentes à parte antiga do complexo portuário de Hamburgo.  



Foto 024 – O porto de Hamburgo sempre figurou entre os mais importantes da Europa, muito devido à sua posição de fácil acesso ao Mar do Norte pela foz do grande Rio Elbe. Durante séculos conduziu Hamburgo a um rápido e próspero desenvolvimento, o que em algum momento fez a cidade ser apelidada pelos seus nada modestos residentes como “a porta de entrada para o mundo”.



Foto 025 – E por falar em modéstia, que tal o título de cidade no mundo com a maior quantidade de pontes? Rios e canais estão por toda parte e são atravessados por mais de duas mil pontes. Amsterdã? Veneza? Todas comem poeira!


GOSTOU DA POSTAGEM?
Clique nos botões abaixo e contribua para a valorização deste conteúdo. Obrigado pelo apoio!

DEIXE UM COMENTÁRIO!
Suas impressões e opiniões são bem vindas. Veja a política de comentários.

Sobre o Autor:
Robson Dombrosky , engenheiro, motociclista e aventureiro. Um viajante deveras curioso, que sempre percorre seus destinos munido de um bloco de notas e de uma bela câmera fotográfica.

4 comentários :

  1. Mto legal o conceito do blog. Iradas as fotos deste post. Gostei + ainda, pois a minha próxima trip é p/ a Alemanha e outros países da Europa. Vi que o seguro viagem é obrigatório. Alguém me indica uma boa empresa? Abç, Guto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guto, veja a sugestão do Sérgio no comentário abaixo. Eu normalmente uso o seguro que vem incluído no meu cartão de crédito, então não costumo contratar, mas sei que existem muitas opções na internet.

      Excluir
  2. Demais as fotos! Fiquei c/ saudades da Alemanha. Foi um dos países europeus que eu + gostei de conhecer. Guto, qd fui, fechei o plano EuroCard, desta empresa: www.touristcard.com.br abç Sérgio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela dica Sérgio! Também simpatizo muito com a Alemanha!

      Excluir