Barra de menu

Caruaru do São João e Cabaceiras do Sertão

UMA VIAGEM DE CARRO PELO NORDESTE DO BRASIL - Parte 01


caruaru capital do forro

Foto 001 – A primeira parada foi na cidade de Caruaru, já no agreste pernambucano, conhecida como “capital do forró” e palco da maior festa de São João do país.

feira de caruaru
Foto 002 – Esta é a entrada da feira de Caruaru, onde dizem ter de tudo. E tem mesmo, tem até música. O baião “feira de Caruaru”, cantado por Luiz Gonzaga, foi composto por Onildo Almeida, aquele cidadão ali, representado pela estátua.
DSC_6644
Foto 003 – Final de tarde na pracinha central, uma espécie de complexo folclórico. Culturalmente rica, a cidade foi berço de muitos artistas que acabaram mais tarde se projetando no Brasil e no exterior. 
cacto
Foto 004 – À medida que nos embrenhamos pelo interior, o sertão vai aos poucos mostrando sua cara.
DSC_6652
Foto 005 – Entramos na Paraíba via estrada de chão. O trecho incluiu pedras, buracos, travessia de córregos, porteiras, etc. Quanto às placas indicativas do caminho nas encruzilhadas... Bom, não se pode incluir tudo, não é mesmo?
DSC_6792
Foto 006 – Depois de brincar um pouco de cara ou coroa, desembocamos na pacata e simpática cidade de Cabaceiras.
DSC_6660
Foto 007 – Neste cantinho do nordeste foi filmado “O Auto da Compadecida”, além de diversos outros filmes.
roliude nordestina
Foto 008 - Por conta disso, em 2007, a pequena cidade passou a ser conhecida como a “Roliúde Nordestina”, ostentando o título de uma forma pra lá de convincente.
DSC_6657
Foto 009 – Habitante com ar esnobe, provavelmente contaminado pelo glamour trazido à cidade pela sétima arte.
DSC_6795
Foto 010 – Cada filme financia uma demão de tinta nas casas. O set precisa estar “arretado”.
DSC_6659
Foto 011 – Os fundos da igreja do filme “O Auto da Compadecida”. Naquela parede foi gravada a cena em que um cangaceiro executa o padre, o bispo, o padeiro e sua esposa.
DSC_6800
Foto 012 – A parte frontal da mesma igreja, representada em um mosaico na praça da cidade.
DSC_6799
Foto 013 – Por sinal, uma bela praça.
festa do bode cabaceiras
Foto 014 – Em Cabaceiras, o bode figura como legítimo produto da terra, com direito a uma estátua bem no centro da cidade.
Foto 015 – Nos caminhos do interior, a estrada atravessa diversas outras cidadezinhas onde o tempo parece andar mais devagar.
DSC_6975
Foto 016 – Quase um convite a uma parada. O ar de tranqüilidade é contagiante.
DSC_6971
Foto 017 – Percebemos que nos pequenos vilarejos, todas as casas são sempre muito parecidas entre si. Um morador projeta. Os vizinhos, por sua vez, acham lindo e copiam.
DSC_6946
Foto 018 - Na beira da estrada, muitas casas de pau-a-pique. Passando por uma delas, resolvi encostar o carro para olhar mais de perto.
DSC_6944
Foto 019 – Acabamos conhecendo o Josué, o morador solitário. Quando me viu com a câmera ficou muito desconfiado, achando se tratar de um dos seus desafetos, querendo tomar a casa.
DSC_6937
Foto 020 – Depois acabou se dando conta que não representávamos ameaça. Com muita simplicidade, contou um pouco de sua história e nos mostrou a propriedade.
DSC_6934
Foto 021 – É por essas e outras que eu tinha tanta vontade de percorrer a região. Sabia que acabaria me deparando com exclusividades.
DSC_6820
Foto 022 – Como por exemplo, a inovadora e revolucionária Belina double deck
DSC_6818
Foto 023 – Concebida para atender as exigências de uma família de muitos herdeiros.
DSC_6822
Foto 024 – E o que dizer do frentista “sempre alerta”?
cavalinho extração de petróleo
Foto 025 – Gostei também destes mecanismos para bombeamento de petróleo, bastante comuns na “rodovia do óleo” no Rio Grande do Norte. Nada de sensacional, mas é uma 
imagem que sempre associei à região.

GOSTOU DA POSTAGEM?
Clique nos botões abaixo e contribua para a valorização deste conteúdo. Obrigado pelo apoio!

DEIXE UM COMENTÁRIO!
Suas impressões e opiniões são bem vindas. Veja a política de comentários.

Sobre o Autor:
Robson Dombrosky , engenheiro, motociclista e aventureiro. Um viajante deveras curioso, que sempre percorre seus destinos munido de um bloco de notas e de uma bela câmera fotográfica.

10 comentários :

  1. a belina double deck é o máximo!!! já mostraram para o seu Luiz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu Luiz viu grande parte das fotos, mas não me lembro se viu esta, especificamente

      Excluir
  2. Léo Fernandes17/10/2009 12:37

    No interior do nordeste, parece que o tempo parou. Nada acontece, ninguém tem pressa. Já ao descer no aeroporto, a gente nota isto.

    Uma coisa desagradável, pelo menos nos buracos por onde andei, é a quantidade de moscas. É preciso disputar a comida com elas nos botequins de beira de estrada.

    Quando o ônibus chega na rodoviária, sobem sempre famílias de mala e cuia (panelas de comida amarradas com barbante), além de cegos e aleijados pedindo dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A parte do ônibus eu não presenciei, já que viajamos de carro. Quanto às moscas, sei exatamente do que você está falando!

      Excluir
  3. Não gostei. Caruaru, Garanhuns, Petrolina e outras cidades do interior de Pernambuco têm um bom aspecto, com edifícios altos e vias amplas, especialmente Petrolina (cidade que pelo visto você não passou). Me parece que o intuito era mostrar a pior parte, as piores estradas, o pior da infraestrutura. Quem vê essas fotos de Caruaru pensa que a cidade tem só 5.000 habitantes. Campina Grande na Paraíba também merecia fotos. Enfim... esse tipo de trabalho infelizmente só corrobora o preconceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eu vou fotografando as coisas que me chamam atenção, a maioria das fotos são feitas com objetivo de registrar coisas belas, mas outras são de situações incomuns ou inusitadas. Não passamos por Campina Grande, infelizmente. Mas se Deus quiser ainda vamos conhecer todas essas cidades.

      Excluir
    2. Tudo bem... até entendo que o barato seja mesmo registrar o "mais exótico". As únicas fotos em que aparece uma estrada boazinha são as da belina. Kkkkkk
      Bom, as pessoas do norte baiano por exemplo preferem se deslocar entre as cidades da região por Pernambuco, por conta das estradas em melhor estado de conservação. Claro que no profundo sertão há algumas estradas péssimas, ou inexistentes, mas estrada ruim existe no país inteiro.
      Não tenho ido ao Recife por via terrestre, mas percorri recentemente o trecho entre Petrolina e Serra Talhada e a rodovia estava em ótimo estado. E o trecho entre Caruaru e Recife é duplicado.

      Creio que você gostará de conhecer cidades do interior pernambucano como Triunfo, Garanhuns, entre outras cidades serranas de clima agradável em Pernambuco.

      Excluir
  4. Bom dia Robson, olha me deu uma vontade de conhecer Pernanbuco e o nordeste todo! parabéns !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós tivemos uma pequena amostra da região nessa viagem, mas também mantemos a vontade de continuar visitando a região. Ainda tem muita coisa bela por lá para conhecer!

      Excluir