Barra de menu

Vivendo o Cotidiano de Londres - parte 7

Setembro de 2002 (De volta ao Brasil) 

Ter morado na Inglaterra por dois anos não trouxe como único benefício o aprendizado do inglês. Ficar imerso numa cultura diferente da sua, sempre traz algum crescimento. No caso de Londres, que reúne tamanha diversidade étnica num espaço físico relativamente reduzido, uma experiência como essa é ainda mais marcante. Afinal, não é em todo o lugar que você pode, por exemplo, escutar seis ou sete línguas sendo faladas simultaneamente dentro de um ônibus. Por mais que alguém já tenha assistido reportagens ou documentários sobre um determinado lugar, sempre acaba se surpreendendo se tiver a oportunidade de visitá-lo. Em Londres, a super explorada imagem do Big Ben e do parlamento deixam imediatamente de ser o ponto alto da cidade, assim que você se depara com algumas cenas do cotidiano local.

O bom filho à casa torna
 Fazer compras na feira hippie de Camden Town, andar pendurado na porta dos velhos ônibus vermelhos de dois andares, ir e vir no gigantesco sistema de metrô, passar horas ouvindo CDs na Virgin Megastores, assistir artistas de rua em Piccadilly, caminhar pela super lotada Oxford Street, acabam, no final das contas, caracterizando muito mais a terra da rainha.

...uma das coisas que eu gosto de fazer nos fins de semana é sair pra visitar os mercados de rua. É algo realmente impressionante. Você já viu aqueles filmes do Indiana Jones, quando ele anda (ou pelo menos tenta andar) pelo meio daquelas ruas cheia de comerciantes e barracas com todo tipo de mercadoria,desde roupas esquisitas e bijuterias suspeitas até antiguidades, e todo tipo de cacarecos e bugigangas? Pois é, é mais ou menos isso, só que os daqui são maiores e com ainda mais variedade de coisas. Até que é um programa interessante para um sábado à tarde.

...pois é, essa é minha rotina no Mc Donalds, só cuidando dos bastidores, sempre imundos e engordurados. Mas antes de fechar o restaurante, meu serviço é na cozinha, despachando o rango pro pessoal. O pior de tudo nem é limpar gordura, mas sim ficar aturando o som que toca lá o dia inteiro. A maioria dos gerentes que fecham comigo têm a incrível habilidade de sempre escolher a pior rádio possível. Os caras colocam aqueles raps bem podres e essa merda fica businando no meu ouvido o dia inteiro. Haja paciência...  Só que agora já estou ficando com moral lá dentro e a primeira coisa que faço quando chego é mudar de rádio, embora saiba que logo os infelizes vão lá e trocam denovo...

...por aqui você pode andar pelas ruas à noite, não tem muito perigo. É claro que não é nenhum paraíso, acho que é uma das cidades que tem mais gente doida pelas ruas, já vi cada coisa... Mas em geral eles ficam na deles, eu pelo menos nunca vi alguém sendo assaltado. Umas das atrações mais comuns à noite são os Pubs, geralmente são apenas bares e alguns deles têm música ao vivo. O único problema desses lugares é o cheiro de cigarro, um verdadeiro nevoeiro. Quando entro neles sempre tenho a impressão que sou o único no local que não está fumando...

... aqui em Londres a vida continua, ainda não aconteceu com a gente nada que merecesse uma primeira página no "the Sun", mas até que as coisas vão indo bem. O pessoal é basicamente o mesmo e as noitadas no Bad Bobs as terças também já são bem manjadas! Pelo menos pra mim esse é um dos únicos programas possíveis, porque agora eu estou com a agenda lotada, não tenho muito tempo livre. Estou fazendo um curso preparatório para prestar o exame de Cambridge em junho, (vou ficar muito contente se não levar bomba) e o resto do dia estou lá no Mc Donalds, comendo o pão que o diabo amassou. O gerente agora me colocou para trabalhar 40 horas por semana o que mostra que ele está satisfeito com meu serviço (apesar de ter me visto pela câmera pegando sorvete escondido algumas vezes...) Aqui em casa também tá sempre tudo manso, menos quando eu resolvo ligar a guitarra, aí eu sinto que não rola um incentivo por parte da família!!

E com tanta história, não só Londres, mas a Europa de uma forma geral, me motivaram a escrever sobre todas essas experiências ao longo desses dois anos. Para ler, reler e relembrar. Lá, foi muito bom, mas aqui, continua sendo ainda melhor.

GOSTOU DA POSTAGEM?
Clique nos botões abaixo e contribua para a valorização deste conteúdo. Obrigado pelo apoio!

DEIXE UM COMENTÁRIO!
Suas impressões e opiniões são bem vindas. Veja a política de comentários.

Sobre o Autor:
Robson Dombrosky , engenheiro, motociclista e aventureiro. Um viajante deveras curioso, que sempre percorre seus destinos munido de um bloco de notas e de uma bela câmera fotográfica.

4 comentários :

  1. Margarida Hulshof27/06/2012 11:01

    Excelente ideia publicar essas memórias! Só falta colocar mais fotos dessa época, pois há tantas fotos legais, além dos textos!

    ResponderExcluir
  2. Vou dar uma garimpada, mas nesse caso elas vão servir mais para ilustrar as situações, pois há 10 anos atrás as minhas fotos não eram grande coisa.

    ResponderExcluir
  3. Robson,
    Não resisti e vim ler seus relatos de Londres, onde morei de 2006 até há pouco tempo atrás. Posso te dizer que apesar da cidade ter mudado muito e continuar mudando, o espírito é sempre o mesmo, à exceção da fumaça nos pubs, que não existe mais :)
    Abraços e parabéns de novo pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Deb. Quanto à extinção da fumaça, foi um progresso e tanto, na minha humilde opinião. Por outro lado, eu agora sentiria bastante falta dos ônibus abertos!

      Excluir